Indústria crescerá 10% com novos genéricos em 2014

Dez novos medicamentos de referência devem ter suas patentes vencidas até o final deste ano, aponta levantamento da PróGenéricos (associação das indústrias de medicamentos genéricos).

Esses produtos movimentaram uma receita de cerca de R$ 760 milhões nos últimos 12 meses no varejo farmacêutico brasileiro.

A lista é a de maior vulto dos últimos cinco anos, segundo a entidade.

Com o vencimento das patentes, a expectativa do setor é de, pelo menos, dobrar o consumo dos remédios --o que representará uma receita de cerca de R$ 1 bilhão e uma expansão de 10% da indústria de genéricos.

Entre as moléculas que podem ganhar versões genéricas estão a tadalafila, presente no fármaco Cialis, do laboratório americano Eli Lilly.

O produto, utilizado para o tratamento de disfunção erétil, custa, em média, R$ 326 (a caixa com 28 comprimidos de 5 mg), segundo a PróGenéricos. A versão genérica poderá custar até R$ 212,27.

O Cialis respondeu sozinho pelo faturamento de aproximadamente R$ 256 milhões no acumulado de setembro de 2012 a agosto deste ano.

"São produtos com apelo de mercado muito forte, e o setor está preparado para produzi-los", diz Telma Salles, presidente da entidade.

Outra substância de destaque é a duasterida, princípio ativo da Avodart, comercializada pela farmacêutica GlaxoSmithKline -- esse poderá ser o primeiro produto genérico para tratar o aumento benigno da próstata.

 

Fonte: Folha de S. Paulo