Estado do Rio receberá investimento de R$ 550 milhões em biotecnologia

A Bionovis assina hoje (2 de julho) um termo de compromisso com o Governo do Estado do Rio para a concretização dos investimentos de R$ 550 milhões e geração de 150 empregos diretos, a serem realizados nos próximos três anos. A empresa de biotecnologia instalará, na cidade do Rio de Janeiro, um laboratório de Pesquisa e Desenvolvimento, uma unidade industrial e um centro de distribuição. Terceiro principal centro de produção de biotecnológicos do País, o estado do Rio receberá, até 2016, diversos investimentos públicos e privados em laboratórios de pesquisa e unidades fabris do segmento.

O projeto da Bionovis, um dos principais empreendimentos biotecnológicos a serem instalados em território fluminense, além de gerar impacto positivo para a receita do Estado, em função do incremento da atividade econômica local, estimulará a cadeia do setor, auxiliando na prospecção e desenvolvimento de novos fornecedores. "O Rio se destaca no cenário nacional como importante polo de formação de mão de obra qualificada para o setor, com seis cursos de graduação e 32 pós-graduações. O Estado também conta com três polos de pesquisa do setor que contribuem para o desenvolvimento de novas tecnologias”, explica o secretário de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno. “O financiamento para a instalação de novas empresas de biotecnologia, via Agerio, é outra vantagem competitiva do Estado”, completa.

Para aproveitar as potencialidades do setor, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, em parceria com a Agência Estadual de Fomento (AgeRio) e o Sebrae, estuda a implantação do cluster de biotecnologia para saúde humana. O movimento é estimulado pela iminente expiração de patentes de medicamentos biotecnológicos importantes, o que estimula as Parcerias para Desenvolvimento de Produtos (PDP) entre instituições públicas e privadas. As PDPs preveem acordos para desenvolvimento ou transferência de tecnologia. As empresas que desenvolverem primeiro o produto terão prioridade nas licitações públicas para compra de biológicos, que movimentou mais de R$ 3,5 bilhões em 2011.

A Bionovis é uma joint venture formada entre Aché, EMS, Hypermarcas e União Química. Criada em 2012, com o apoio do governo federal, estará voltada à produção de biossimilares no Brasil, usados no tratamento de doenças complexas. Será a primeira grande empresa brasileira a entrar nesse mercado, cujas importações custaram ao governo R$ 6 bilhões no ano passado – 46% de todo o gasto governamental com medicamentos importados.

 

Fonte: Portal Fator Brasil