Remédio para expansão

logo-merckApesar da crise, a farmacêutica Merck nomeia um novo CEO para o Brasil e mantém investimentos de R$ 42 milhões em obras e equipamentos para a expansão de 30% da fábrica em Jacarepaguá (RJ). "Há oportunidades no país, temos de ter paciência e pensar no longo prazo", diz Lawrence Ganti, CEO da Merck para a América Latina. "Devemos aumentar em 30% a exportação de medicamentos do Brasil, de onde já vendemos para Chile, Venezuela e México". Com a primeira fase da expansão da fábrica (no final deste ano), haverá exportações para Equador, Peru e Bolívia e a seguir, para Argentina, Colômbia e América Central. Há a possibilidade de vendas para a Ásia.

 

Outro plano são parcerias com empresas locais. "Não como joint ventures, mas não há nada fechado". A empresa também vai aumentar o seu time de vendas. Os 200 generalistas da Merck Serono (divisão farmacêutica) serão treinados para se tornarem especialistas (hoje 50 se dedicam a especialidades).

 

Desde novembro, Ganti acumula o cargo de CEO no Brasil, que passou nesta quarta-feira (1/7) a ser ocupado pelo brasileiro Guilherme Maradei (ex-Pfizer e Valeant).

 

Fonte: Folha de S.Paulo