Valor Econômico lança estudo setorial de genéricos

generico-100x100-valorUm dos mais pujantes mercados do país na indústria farmacêutica, os medicamentos genéricos seguem em crescimento, apesar da crise econômica, e têm sido o principal motor de expansão desse setor no país no Brasil. Com o objetivo de traçar um panorama do segmento, o jornal Valor lança hoje o "Valor Análise - Medicamentos Genéricos", produzido a partir de entrevistas com representantes dos principais laboratórios e associações setoriais e de dados oficiais de mercado.



 

De acordo com o coordenador do estudo, Onildo Cantalice, da 1ª Edição Setorial, também a partir da leitura do histórico dos medicamentos genéricos, cuja série tem início no ano 2000, a análise setorial traça perspectivas para o segmento.

 

Esse é o primeiro estudo da série com foco exclusivamente nesse tipo de medicamento. Outros três estudos, lançados em 2006, 2009 e 2012, dedicaram-se à indústria farmacêutica em geral.

"O estudo mostra a importância dos genéricos dentro da indústria farmacêutica, os principais players, suas estratégias. O diferencial está no fato de ser uma informação de negócio", afirma Cantalice. 

Hoje, o segmento de genéricos ostenta números expressivos. São mais de 21.711 apresentações, 3.654 registros e mais de 110 laboratórios dedicados à produção desse tipo de medicamento. Os maiores do segmento, os genéricos mais prescritos e as principais classes terapêuticas também são listados no estudo. O trabalho aborda os principais desafios da indústria do ponto de vista de entidades representativas e de executivos dos grandes laboratórios.
 
Entre os principais desafios, mostra a análise, está a necessidade de celeridade e eficácia nos processos de aprovação de genéricos inéditos e no pós-registro de medicamentos.





Atravessar o momento econômico pelo qual passa o Brasil, inovação e lançamento de novos produtos, conquista de maior participação no mercado total e compatibilização dos altos descontos oferecidos pelos genéricos com margens de retorno minimamente favoráveis também desafiam a indústria.

A análise traz ainda o perfil de grandes nomes da indústria, como as farmacêuticas Eurofarma e Medley, e os expressivos investimentos realizados pelo segmento nos últimos anos, com as respectivas destinações. A partir de 2014, esses desembolsos superam a casa de R$ 1 bilhão ao ano.

 

Fonte: Valor Econômico