Ministro da Saúde debate prioridades e desafios com empresários fluminenses

ministro-saude-barrosAções para promoção da saúde e prevenção de doenças estão entre as prioridades para o fortalecimento do setor, destacadas pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, em reunião com o presidente do Sistema Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, e empresários fluminenses, dentre eles o presidente do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos do Estado do Rio de Janeiro (Sinfar-RJ), Carlos Fernando Gross. O encontro na sede da Firjan ocorreu no dia 28 de julho.

 

Barros garantiu que a gestão e o financiamento da saúde, com a informatização do SUS em todo o território nacional, também são o foco das iniciativas do Ministério. De acordo com Barros, um dos principais gargalos do setor é a judicialização da saúde, que são os tratamentos e importação de remédios impostos por medidas judiciais, quando negados pelo Ministério da Saúde. De 2010 a 2016, essas ações geraram custos de cerca de R$ 3,9 bilhões. “Os números são muito altos. São despesas não previstas que, como consequência, deixam outras áreas desassistidas”, alertou.

 

O ministro ressaltou a contribuição do Sistema Firjan para o poder público, com a criação do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) e o Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF). Eduardo Eugenio destacou as iniciativas da Federação que podem promover melhorias no setor: “Podemos realizar estudos conjuntos com o Ministério para melhora do atendimento dos hospitais públicos. Grande parte dos trabalhadores industriais depende do SUS”.

 

O presidente da Firjan defendeu o fortalecimento da saúde como fundamental para as indústrias, uma vez que impacta diretamente na produtividade dos trabalhadores. “É um tema no qual temos total interesse, e está em nosso estatuto melhorar a saúde dos industriais. Além disso, há a cadeia produtiva relacionada ao setor, como a de medicamentos ”, disse. A temática também está contemplada no Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro 2016-2025, em ações para redução do custo do trabalho e promoção da saúde e segurança do trabalhador.

 

Prevenção de doenças

Alexandre dos Reis, diretor Operacional da Firjan, defendeu a importância de ter o foco na prevenção de doenças, combatendo as causas, em vez das consequências. Ele mostrou dados de uma pesquisa do Departamento Nacional do SESI, que aponta os acidentes de trabalho, fatores psicossociais e doenças crônicas dos empregados como os principais fatores que afetam a produtividade das empresas. “Nossa atuação se volta para o combate ao comportamento de risco, de forma a evitar o absenteísmo e o presenteísmo nas indústrias”, declarou. Ele também apresentou os serviços médico-odontológicos oferecidos pelo SESI, que atendem cerca de 310 mil famílias fluminenses por ano.

 

Carlos Fernando Gross frisou que a saúde é primordial para o desenvolvimento nacional. “O setor farmacêutico é um grande parceiro do Ministério e se orgulha disso. Uma das grandes contribuições é na inovação, porque temos muitos centros de pesquisa no país. Isso é fundamental para o crescimento do Brasil”, afirmou ele, que também é vice-presidente do Sistema Firjan.

 

Fonte: Firjan